Principal > Fatores externos são os motivos para as constantes interrupções no abastecimento de água e energia no campus Marco Zero - 07/12/2017 - 1536278

Fatores externos são os motivos para as constantes interrupções no abastecimento de água e energia no campus Marco Zero

As constantes interrupções no abastecimento de água pela Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) têm gerado inúmeros desconfortos à comunidade acadêmica do campus Marco Zero. Apesar da Unifap possuir estrutura com poço artesiano, a vazão não é suficiente para completar o nível da cisterna na mesma velocidade de consumo interno. Por esse motivo, o fornecimento de água por parte da empresa torna-se fundamental para que não haja interrupção.

A diferença entre as vazões chega a ser 12 vezes menor do poço artesiano em comparação com a água oriunda da Caesa. “Hoje nós temos duas bombas instaladas e uma de reserva para levar a água até a caixa, além do sistema de conexão hidráulico revisado e sem vazamentos. No entanto, essa estrutura fica comprometida a partir do momento em que o fornecimento da Caesa falha”, explicou o responsável pelo sistema, o arquiteto Helder Augusto Gomes. 

Energia

Além da falta de água, outro problema que afeta o ritmo de trabalho e climatização são as constantes quedas e faltas de energia no campus. Segundo o engenheiro eletricista da Unifap, João Ricardo Pinheiro, não se trata de um problema interno, visto que não foi identificado nenhuma anormalidade na estrutura da Universidade. O engenheiro aponta como causa a abertura da chave que liga e desliga o sistema da Unifap à rede de abastecimento de energia da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA).

A concessionária de energia elétrica foi alertada e resolveu o problema parcialmente, pois a chave apresenta folga e não fixa como deveria ao sistema para energizar a rede interna da Universidade.  Nesse último final de semana, houve três aberturas da chave e a consequente queda de energia. Os profissionais da Prefeitura do campus fizeram um registro fotográfico e notificação.

Nesta terça-feira, a equipe da Unifap esteve na CEA para obter um posicionamento oficial e saber se será necessário adquirir novas chaves. A resposta foi de que, até a próxima segunda-feira (17), a equipe da CEA estará na Unifap para avaliação e elaboração de laudo, indicando o que precisa ser feito para sanar os problemas de interrupção por quedas de fases de energia no campus.

Campus Mazagão

A administração da Unifap instalou uma subestação de energia elétrica para compensar a baixa tensão no campus, o que poderia ocasionar avaria em equipamentos.  Os transformadores adquiridos pela Universidade possuem a capacidade de ajuste dessa tensão. No entanto, a empresa responsável pela instalação não calibrou o equipamento como deveria e o problema não foi resolvido. A Prefeitura da Unifap optou por solicitar à CEA que faça o ajuste do quadro do transformador. A equipe da concessionária comprometeu-se em ir ao campus na segunda-feira (17) para executar o serviço.