Principal > Professores da Unifap colaboram para Coletânea que trata das relações entre Brasil, Guiana e Suriname - 20/04/2017 - 1536278 - KLEBER SOARES DA SILVA

Professores da Unifap colaboram para Coletânea que trata das relações entre Brasil, Guiana e Suriname

A parceria entre pesquisadores da Guiana Francesa, Suriname e Brasil resultou no livro “Mobilidade, etnia, diversidade cultural: da Guiana entre o Suriname e o Brasil”. Os professores da Universidade Federal do Amapá (Unifap) Manoel Pinto, Marcelino da Costa Júnior e Márcia Jardim colaboraram na edição com publicações de dois artigos nos capítulos que tratam da dinâmica local relatório / global, nova territorialidade, recomposição de identidade; e fronteiras políticas, fronteiras culturais e mobilidade transnacional, respectivamente.

O atual momento vivido pela Guiana foi o ponto de partida para que os pesquisadores reunidos na obra tratassem o assunto com duplo objetivo: propor caminhos para uma melhor compreensão das mudanças e apresentar alguns elementos de apoio para a reflexão, para que eles possam ser considerados como um meio de decisão e ação na formulação de políticas públicas, tanto para as autoridades públicas quanto para os agentes privados.

A Ponte

No texto “A ponte necessária: reflexões acerca da imaterialidade da ponte ‘binacional’ Brasil-Guyana francesa”, os pesquisadores Marcelino Júnior e Márcia Jardim discorrem sobre a expectativa dos brasileiros ao deixarem o Brasil para tentar a sorte na Guiana, a escassez de emprego e subempregos, além de estereótipos negativos que descaracterizam o “ser brasileiro” a partir do imaginário dos próprios brasileiros.  

O rígido controle do lado francês e a falta de fiscalização do lado brasileiro também são expostos. As reflexões acerca da ponte concretada a partir dos depoimentos coletados corroboram para essa noção de desigualdade. As opiniões giravam em torno de que a ponte seria “uma ponte de ricos”, pois os pobres teriam que “passar por baixo dela”.

Expectativa x realidade

Manoel Pinto faz um balanço metodológico/teórico onde analisa o que mudou ao longo desses 10 anos dessa relação transfronteiriça O professor aborda no texto “Trabalhadores brasileiros na Guiana Francesa: da sedução à realidade migratória” os motivos e a realidade encontrada pelos brasileiros que decidiram aventurar-se em território francês. O atrativo maior são os salários, já não tão em alta nos dias de hoje.  

Esse trânsito teve início com mais força a partir dos anos de 1960. Manoel Pinto escreve que “a imigração de brasileiros para a Guiana Francesa já ocorre há pelo menos cinco décadas. Desde 1964, no auge da construção das instalações da cidade de Kourou2, a saída de nortistas para cidade de Caiena tornou-se uma opção para milhares de trabalhadores desempregados”.

O pesquisador dividiu em dois grupos os brasileiros que migraram para a Guiana. O primeiro é composto por garimpeiros (a maioria clandestinos) que vivem encravados dentro da floresta e as margens dos rios na fronteira entre Guiana Francesa, Suriname e Brasil. O segundo reúne os mais diversificados tipos de pessoas: jovens (homens e mulheres) que possuem familiares estabelecidos em Caiena, desempregados, profissionais da construção civil (mestres de obras, pedreiros, carpinteiros) e ainda profissionais como mecânicos, pintores etc.

Obra

Toda essa dinâmica entre os três países é apresentada nos seus pormenores nas 310 páginas escritas pelos 14 pesquisadores reunidos na coletânea de estudos.  Novas pesquisas aliaram-se às feitas no passado para gerar o livro. A obra foi coordenada pelo antropólogo Gérard Collomb e o historiador Serge Mam Lam Fouck e foi escrita em francês, inglês e português, as línguas-mãe dos autores.

 O livro pode ser adquirido pelo site da editora (http://www.ibisrouge.fr/fr). Cada colaborador recebeu três exemplares. Desses, o professor disponibilizou um para a biblioteca da Unifap e a versão em pdf pode ser baixada gratuitamente no anexo abaixo. Nos próximos três meses, um seminário será promovido para debater as ideias presentes na coletânea.

Data Arquivo Tamanho
20/04/2017 LIvro 7.58 MBytes
Total de Arquivos: 1
  • img