Principal > 4° edição das Bandeiras de Matrizes Africanas marca o dia nacional de combate à intolerância religiosa em Macapá - 01/09/2019 - 1126668 - NARA MARIA BRAGA DA SILVA

4° edição das Bandeiras de Matrizes Africanas marca o dia nacional de combate à intolerância religiosa em Macapá

Em todo o Brasil, o dia 21 de janeiro é marcado por celebrações de combate à intolerância religiosa. No Amapá, a tradicional Caminhada das Bandeiras de Matriz Africana chega a sua 4a edição. Com o tema "Cultura: ancestralidade de um povo", o Movimento Juventude de Terreiros do Amapá com o apoio da Prefeitura de Macapá, por intermédio do Instituto Municipal de Políticas para Promoção da Igualdade Racial (Improir), Federação Cultural Afro- Religiosa de Umbanda e Mina Nagô (Fecarumina), Universidade Federal do Amapá, Associação Beneficente do Ylê da Oxum Apará (Abyoa), Liga Independente das Religiões Afro-Amerindias do Amapá (LIRA) e adeptos de religiões de matriz africana querem chamar atenção da sociedade amapaense sobre a visibilidade da cultura afrobrasileira dos terreiros. Nesta data caminhada sairá da Praça Veiga Cabral às 16h em direção a Praça Floriano Peixoto, centro de Macapá.

A abertura da IV Caminhada das Bandeiras de Matrizes Africanas acontecerá com roda de conversa com o Babalorixá Ivanir dos Santos, Importante representante da luta contra a intolerância religiosa no Brasil, que irá palestrar sobre "Intolerância Religiosa e Racismo Institucional na conjuntura atual" no dia 19 de janeiro às 16h na sede da Federação Cultural Afro- Religiosa de Umbanda e Mina Nagô (Fecarumina), localizada na Avenida Carlos Gomes, 573, bairro Jesus de Nazaré, Zona Norte de Macapá.

A data de combate à intolerância religiosa foi instituída em 2007 depois da morte da sacerdotisa do candomblé Gildásia dos Santos, conhecida como Mãe Gilda. Após ter a casa e o terreiro invadidos por grupos de outra religião e o marido agredido, a Iyalorixá morreu em decorrência de um infarto. Atualmente, o dia é uma oportunidade para atentar sobre a necessidade de se respeitar a diversidade religiosa e, assim, reduzir os casos de crimes de ódio no país.

A programação inicia às 15h, na Praça Veiga Cabral, com apresentações culturais de Marabaixo, capoeira, hip-hop e rituais afrorreligiosos com roda de cânticos das nações religiosas. Às 16h, o movimento ganha as ruas, seguindo pela Cândido Mendes até a Av. Henrique Galucio, e depois em direção a Praça Floriano Peixoto, onde os rituais terão continuidade com o grupo de Afoxé - Tambores Tucujus.


Contato(s):

ATENDIMENTO À IMPRENSA - Jomar Júnior: (96) 98803-7656

  • ba
  • cartaz