Principal > Unifap e PMM assinam termo de cooperação técnica para execução do projeto Macapá 300 Anos - 17/09/2018 - 1743601 - JACQUELINE FREITAS DE ARAUJO

Unifap e PMM assinam termo de cooperação técnica para execução do projeto Macapá 300 Anos

A reitora da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Eliane Superti, e o prefeito de Macapá, Clécio Luís, assinaram na última quarta-feira, 12, um termo de cooperação técnica para a execução do projeto Macapá 300 Anos. O termo prevê a elaboração de documentos, estudos e pesquisas que contribuirão com políticas públicas e ações nas áreas de saúde, educação, infraestrutura, cultura, patrimônio histórico, entre outros. A assinatura ocorreu no auditório do Conselho Superior (Consu) da Instituição, no campus Marco Zero do Equador, em Macapá (AP).

Para Eliane Superti, o termo de cooperação técnica possibilitará colocar o conhecimento produzido dentro da Universidade a favor da melhoria das condições de vida de Macapá. O prefeito da cidade destacou que a Unifap tem grande importância para a realização do projeto pois, por meio dos seus cursos e pesquisas, fornecerá informações que ajudarão a desenvolver políticas públicas.

Os dados e resultados dos estudos e pesquisas que serão desenvolvidos por docentes e acadêmicos dos cursos de Engenharia Civil e Arquitetura e Urbanismo da Unifap também serão utilizados na revisão do Plano Diretor da Cidade de Macapá, documento que traz as principais diretrizes para o desenvolvimento da capital amapaense.

Macapá 300 Anos

O projeto Macapá 300 Anos, da Prefeitura Municipal de Macapá, tem como objetivo orientar as ações públicas e privadas voltadas para a construção de uma cidade com alta qualidade de vida, mais próspera, sustentável, justa e preparada para se proteger das ameaças e aproveitar oportunidades que se apresentem.

Um dos principais desafios da proposta “Macapá 300 anos” será a construção de uma visão compartilhada de futuro pelos moradores da cidade. Para buscar convergências na sociedade e avançar no Projeto, será necessário conhecer as diferentes questões em disputa e considerar a assimetria de informações entre os atores. Para isso, será necessário acionar diversos instrumentos como plenárias populares, workshops, seminários, debates temáticos, entrevistas com lideranças sociais, plataforma digital etc.

O que resultar desses eventos enquanto apropriação coletiva deve ser registrado e consolidado como os saberes e conceitos compartilhados que serão a chave para moldar o projeto de futuro de Macapá, que completará 300 anos em 2058.

Saiba mais em http://300anos.macapa.br/.

 

*Com informações do site da Prefeitura Municipal de Macapá

* Fotos: Valber Pimenta/AER/Unifap

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4